terça-feira, 15 de setembro de 2009

Budapeste, Hungria – Dia 11

Budapeste (14 a 18 de setembro de 2009)

Dia 11 (15/09 – terça-feira)

Lugares visitados:

- Ponte das Correntes (Chain Bridge - Széchenyi Lánchíd)
- Castelo de Buda (Buda Castle - Budai Vár)
- Museu Histórico de Budapeste (Budapest History Museum – Budapesti Történeti Múzeum)
- Halászbástya (Fishermen’s Bastion)
- Igreja Matias (Mathias Church - Mátyástemplom)

 

Tive uma noite de sono ótima, apesar de eu ter dormido bem tarde, pois fiquei na Internet pesquisando sobre a Hungria, esse país que eu esperava tanto conhecer.

O café da manhã foi muito bom. Para o nosso primeiro dia em Budapeste, planejei visitar o Parlamento e o bairro do Castelo em Buda.

Antes do começar o dia, uma breve descrição de Budapeste: foi fundada em 1873, após a unificação de três cidades, Buda e Óbuda, na margem oeste do Danúbio, e Peste, na margem leste. Buda é em grande parte coberta por florestas e colinas e está associada, atualmente, a altos padrões de vida. Peste é a porção oriental, em geral plana e onde se situa o centro econômico da cidade.

Do hotel ao Parlamento, fomos andando pelas margens do Rio Danúbio. O dia estava lindo e a caminhada foi super agradável, por causa da via arborizada que percorremos, da paisagem de Buda que desfrutamos e da bela arquitetura da cidade que descobrimos. Caminhamos desde a Ponte Erzsébet (a Ponte da Rainha Elizabeth, a Sissi) até o Parlamento. Ao longo do caminho encontramos o Pesti Vigadó, um centro cultural para concertos e exposições, a Széchenyi Lánchíd, a famosa Ponte das Correntes sobre o Danúbio, ligando as duas partes da cidade, Buda e Peste,  e o Magyar Tudományos Akadémia, a Academia de Ciências, que longe da sua função original, oferece variados eventos culturais.

 Pesti VigadóSzéchenyi Lánchíd Magyar Tudományos Akadémia

 

Depois de uma longa caminhada, chegamos enfim ao Parlamento (Országház), o maior edifício da Hungria com 691 aposentos. Para nossa decepção, havia uma fila, grande e demorada, para entrar no prédio, cujo acesso só pode ser feito através de visita guiada. Ficamos na fila por um tempo, mas desistimos.

Parlamento

 

De volta à Ponte das Correntes, atravessamos o Danúbio em direção ao Castelo de Buda. Mais uma vez, estou sobre o Danúbio, dessa vez na Hungria, um dos países por onde esse rio passa.

Eu sobre o Danúbio, na Hungria

 

Do outro lado do rio, em Buda, tivemos acesso ao Funicular do Castelo, uma espécie de carro, puxada por cabos para o transporte de passageiros ou carga em encostas. Esse Funicular liga a parte baixa de Buda ao bairro do Castelo. Compramos tickets de ida e volta e custou 1450 Ft (por pessoa). Foi um passeio bem rápido mas divertido :). Saímos doFunicular de Buda Funicular na praça central entre o Sándor Palace e o Castelo de Buda, de onde tivemos uma vista panorâmica de toda Budapeste. Espetacular! É impressionante o tamanho do Parlamento, que toma conta de toda a paisagem.

É chegada a hora da visitação ao Castelo de Buda (ou Palácio Real), o castelo histórico dos reis da Hungria. Os interiores do Castelo foram totalmente destruídos durante a Segunda Guerra Mundial e a sua reconstrução se deu a partir da década de 50. Entre as ruínas foram descobertos vestígios do palácio gótico do século 15, quando se iniciaram pesquisas arqueológicas para desenterrar os restos do castelo medieval.

No Palácio Real, está localizado o Museu Histórico de Budapeste, que narra a evolução da cidade desde sua origem romana. São inúmeros andares dedicados aos diversos períodos da história com todos os tipos de peças. Há também uma parte subterrânea, câmaras da Idade Média, descobertas e recriadas depois da destruição do Castelo durante a guerra. O ingresso custou 2600 Ft.

Depois de muitos corredores e história, seguimos rumo à Igreja de São Matias, mas antes paramos para um lanchinho. Comi uma torta de nozes deliciosa e um café expresso. O Leo comeu algum salgado e uma bebida. O lanche custou 2010 Ft. Nossos corpos já apresentam sinais de cansaço da viagem, por isso essas paradas são essenciais.

Visitamos a Igreja de São Matias e o que mais chama a atenção é o telhado de azulejos coloridos. É fantástico! A parte externa da Igreja estava em restauração, mas isso não nos impediu de deslumbrar a beleza da arquitetura neogótica. O interior, em estilo gótico, é incrivelmente belo, onde as colunas, paredes e tetos são todos pintados à mão, dando um efeito de papel de parede ou tapeçaria.

Depois dessa igreja, circulamos pelas ruas de Buda e tomamos sorvete.

Igreja de São Matias Igreja de São Matias

 

Descemos de volta à Peste e almoço-jantamos na beira do Rio Danúbio, num Étterem** bem simpático. Como a maioria dos estabelecimentos, este não aceitou cartão, apenas dinheiro, Forint (nem Euro aceitava).  Experimentei o Paprikás. O almoço-jantar custou 8000 Ft (incluindo cerveja e sobremesa, para nós dois).

** Há dois tipos comuns de restaurantes na Hungria: o étterem, que serve diversos pratos da cozinha local e internacional, e o csárda, espécie de taverna que oferece especialidades típicas do país.

Observando as árvores, é visível a marca do outono, que chega no dia 21/09. As folhas já perdem o verde e caem. Algumas árvores já estão quase sem folhas.

Cotação do dia:
€1 = 270 Ft

Ufa! De volta ao hotel.

3 comentários:

  1. Achei muito bacana tua abordagem, conheço bem a Hungria, e fico feliz quando sei de pessoas que tbem gostam de lá! Hoje já vi outros pessoas com seus depô de viagem com o tema... lol!

    Fádina

    comecei a blogar recentemente: oasisdefadna.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Olá Fádina, obrigada pelo comentário. Sempre fui apaixonada pela Hungria, antes mesmo de conhecê-la, apenas de ouvir pouquíssimas histórias de lá, grande parte negativas. Meu padrinho (que sempre chamei de vô :) era húngaro e desertou do exército nazista, circulando pela Europa até chegar aqui, no Brasil. Ele nunca, jamais, pensou em retornar ao seu país de origem... não sei... parece que o meu amor por ele se estendeu à Hungria... sempre leio sobre ela. A palavra magyar me soa tão bem nos ouvidos, faz meu corpo tremer! Tenho planos de voltar lá e ficar mais tempo, indo além de Budapeste.

    Estou seguindo seu blog! Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Gostei. Parabéns pelo blog. Eu sugiro, também, o endereço: viagemhungria.blogspot.com.br

    ResponderExcluir