quinta-feira, 10 de setembro de 2009

DE Salzburgo, Áustria PARA Viena, Áustria – Dia 6

Salzburgo (08 a 10 de setembro de 2009)

Dia 6 (10 – quinta-feira)

 Todas as fotos clique aqui Todas as fotos de Salzburgo, Áustria


Hoje partiremos para Viena no trem das 15:08h, portanto temos pouco mais de meio dia para aproveitar a cidade. Então, temos muito a andar agora de manhã. Vamos lá!

Caminhamos pela parte mais antiga, em estilo barroco, da cidade de Salzburgo. Nossos passeios incluíram Getreidegasse, o centro comercial da cidade, e por uma igreja, que apesar de simples (quando comparada àsIgreja em Getreidegasse outras) era muito bela e de grande importância histórica; pela praça Universitária até chegar no Monastério de St. Peter (St. Peter’s Abbey). Nesse monastério visitamos uma igreja, que além de seu lindo altar e dos afrescos, possuía um grande órgão que foi tocado por Mozart. seguida, passando pela majestosa Catedral, chegamos no Forte Medieval (Hosensalzburg Fortress). Mas antes, o Leo jogou Xadrez na praça.

 Pintura no interior da igreja Órgão tocado por MozartLeo jogando xadrez


Para se chegar ao Forte Medieval, pode-se utilizar o Funicular, que custa €10,50 (incluída a entrada no Forte e seus interiores). Não era permitido fotografar no interior do Forte, por isso faltam fotografias. Mas lá de cima, a vista era espetacular!!! Vista da cidade lá do Forte Medieval 


Hummmm, hora do almoço. Ih gente, agora que percebi que não anotei o nome do prato... mas acho que está bem óbvio o que é, né? Como sempre o Leo vai de básico: espaguete com carne moída...

Leo e seu espaguete à bolonhesa Prato da Mel


Bem, está chegando a hora de ir embora. E esse fato não pode deixar de ser narrado. Do hotel partimos para a estação de trem, e fomos de ônibus. Os ônibus por aqui são bem confortáveis, espaçosos e organizados, por isso não vi problema nenhum em utilizá-los para partir. O problema é que não levamos em conta o peso das três malas que carregávamos. O esquema era o seguinte: tínhamos que pegar um ônibus, descer 2 paradas depois, trocar de ônibus e descer na parada seguinte (que era a estação de trem). Ao entrar no primeiro ônibus é que percebi o peso da minha mala... mal consegui entrar e como de praxe me deu aquele momento de riso eterno eheheheh. Fiquei parada exatamente na conexão dos carros (aqui os ônibus têm uns 3 carros). E eu ali tentando me equilibrar, quase rodando. Ao chegar na estação que tínhamos que descer, combinei com o Leo de que eu desceria primeiro e ele ia jogando as malas, e eu recebendo-as cá embaixo. Bem, eu só não contava que uma boa alma (naquele momento foi uma péssima alma) tentaria nos ajudar e uma “amável” criança (chorando histérica) ficaria perdida na escada do ônibus. A boa alma, desceu uma das minhas malas e eu não conseguia descer (conforme combinado com o Leo) porque a criança se perdeu da mãe e ficou estacionada na escada. Eu segurava uma mala enooorme e com aquela criança atravancando o caminho eu não conseguia passar e ao mesmo tentava tirá-la dali. No entanto, o Leo não conseguia ver que tinha aquele bujãozinho atrapalhando a passagem e começou a me empurrar me forçando a descer (como se eu não soubesse que ali era a nossa parada!). Mas a medida que o Leo me empurrava, a minha mala espremia a criança contra o ferro da porta que chorava ainda mais histérica e eu tentando falar com o Leo que não dava para passar. Como a motorista (sim, era mulher) não via ninguém descendo, ameaçava fechar a porta e partir e eu segurando a porta preocupada com uma das minhas malas já fora do ônibus. E o Leo gritando desce, desce. E eu tentando pescar a criança para tirá-la da minha frente e claro, tentando segurar a força do Leo me empurrando. Até que eu disse “gente, cadê a mãe dessa criança??”. Vocês acham que alguém me entendeu???? NÃO!! Até que a @#(%@ apareceu e pegou a criança, rindo. Acho que justamente naquele momento ela foi uma daquelas mães que resolvem testar a criança em caso de perda. No meio dessa confusão, acho que desloquei o meu ombro e bati com as costas em algum lugar. Para entrar no ônibus seguinte foi quase impossível pois a dor era muuuuuito grande e daí pra frente fiquei bem mau humorada. :-|


Ufa, chegamos à estação de trem, rumo à Viena.

Rumo à Viena!

Mas vocês acham que acabou aí? Exatamente às 15:08h o trem parou! E fiquei assustada com a quantidade de gente para embarcar. As pessoas correram para entrar; era um amontoado de malas e pessoas. Eu ODEIO as minhas malas. Nunca mais carrego tanta coisa. Era um empurra-empurra; mal acabamos de entrar e o trem já se preparava para partir (eis o motivo do corre-corre). Quando enfim chegamos em nossos assentos (que reservamos daqui do Brasil), dois alemães não queriam se levantar dos nossos lugares. Por causa disso, ficamos estacionados no corredor (e as malditas malas, 3 no total) e ninguém mais passava. As pessoas começaram a reclamar e a gritar para passar; e a gente ali tentando se fazer entender pros caras que aqueles eram os nossos lugares. Na hora que o Leo falou de modo mais ríspido os caras levantaram. Ufa, e sentei com minhas costelas doendo demais, mal conseguindo respirar. Seguimos viagem, rumo à Viena.


Apesar de pequena, quem puder, fique nesta cidade pelo menos 3 dias inteiros. Vale à pena! Eu fiquei apenas 2 e me arrependi.

Antes de arrumar as malas e partir para Viena, deixo aqui os lugares que devem ser visitados (mas não fui por falta de tempo):

  • Barockmuseum: museu barroco, cujo acervo é dedicado à arte dos séculos 17 e 18.
  • Mirabell Palace: construído em 1606, serve como palácio do governo. O Marble Hall, no segundo andar, é considerado um dos salões de casamento mais bonitos no mundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário