sábado, 5 de setembro de 2009

Praga, República Tcheca – Dia 1

Praga (05 a 08 de setembro de 2009)
Dia 1 (05 – sábado) – chegada


São 20h49min, hora local (no Brasil são 15h49min), e meus olhinhos estão fechando, acho que estou cansada :-) mas não resisto, preciso escrever.


O avião saiu com uma hora de atraso do Rio, Brasil, então nosso tempo de espera para a conexão Paris-Praga foi bem curta. Chegamos em Praga por volta de 15h (horário local). E agora? Como ir do aeroporto para o hotel? Bem, acreditem, foi mais simples do que esperávamos. Logo na saída do desembarque havia um quiosque de informações turísticas. Lá perguntei como ir até o nosso hotel e pedi um mapa. Muitíssimo atenciosa, a atendente me deu o mapa e a explicação completa de como chegar ao hotel. 
Fora da sala de desembarque havia um quiosque para comprar o bilhete de ônibus que nos leva do aeroporto até o centro da cidade. Tem várias modalidades de bilhete: só ida, até o centro (mas tem que pagar a mala por fora), e o passe de 1, 3 e 5 dias, podendo ser usado no ônibus, no metrô e no bonde. Super prático! Compramos o bilhete de 1 dia (24h). Quando entramos no ônibus validamos o bilhete numa máquina que “carimba” o bilhete com a data e hora e, a partir de então começa a contar às 24 horas.


Para chegar ao nosso hotel, pegamos o ônibus 119 e descemos na estação Dejvická. Essa é a estação final (ou início, depende do referencial) da linha de metrô A. Em Praga existem 3 linhas de metrô (A, B e C), que se cruzam em alguns pontos. O metrô é novo. As portas se abrem como em Paris, a própria pessoa aciona a abertura, só que em Paris é uma alavanca, aqui é um botão. Descemos na estação Muzeum (mas descobrimos que a estação mais perto era Mustek). Para sair da plataforma tem escada rolante, e que escada rolante! Enorme! Nessa hora percebemos a profundidade do metrô. No entanto, para sair da estação não há escada rolante e tinham muitos degraus... Como me arrependi das roupas a mais que coloquei na mala.



Ufa, ufa, conseguimos sair da estação e foi aí que cometemos o nosso primeiro furo. Saímos ao lado do Museu Nacional, no topo da Praça Venceslau. Para chegar ao nosso hotel era só descer a praça e entrar na primeira rua à esquerda. Porém, contornamos um quarteirão inteiro à esquerda, o que nos fez dar uma volta enorme, e puxando as malas pela rua. Demoramos um pouco a entender como identificar os nomes das ruas. Bem, chegamos ao nosso hotel e adoramos, porque ele era uma graça. Super limpo, claro e arejado. Deixamos as malas no quarto e saímos para dar uma volta e fazer um reconhecimento do local. Como nosso hotel fica ao lado da Praça Venceslau, começamos por ela. Muita gente na rua, muitos cassinos, muitos restaurantes, muitas lojas de câmbio, muitas lojas vendendo de tudo (de roupa a lembrancinhas locais). Já fazia tempo que não comíamos uma comida decente (só lanche de avião), então optamos em jantar, apesar da hora. Foi difícil escolher onde comer devido à diversidade de restaurantes, mas escolhemos um restaurante de cozinha tcheca, claro. Eu comi o tão esperado goulash (de pato). O prato era muito bem servido; servia duas pessoas tranquilamente. Experimentei a cerveja, que era deliciosa. Não é servida gelada, talvez fria, mas é tão saborosa que a temperatura não faz a menor diferença. O restaurante tinha o preço um pouco diferenciado (pra cima).


Voltamos para o hotel rolando, pois comemos demais. E ainda ganhamos a sobremesa como cortesia do restaurante.


O sol se pôs por volta de 20h. E estava um ventinho bem frio.


Nosso hotel:
Hotel Amarilis – Jerome. Stepanska, 18, 110 00 Praha 1
> Ah, todas as reservas de hotel fizemos pelo Booking.com (www.booking.com)


Restaurante onde jantamos:
Restaurant Cafe Svatého Václava. Václavské námestí 39, 110 00 Praha 1.


Prato que comemos e preço:
Mel comeu: Pecená Kachna se stavo prazským Cerveným Zelém (Roast duck with old Prague red cabbage) = 490 Czk
Leo comeu: Czéký oblozený talíf (Czech variety platter) = 490 Czk






Detalhe: em Praga pode fumar dentro dos restaurantes, para o meu desespero, pois estou com o nariz bem entupido, sofrendo com minha rinite alérgica.


Cotação do dia: 1 euro = 22 coroas


Claro, não podia faltar a bonequinha (viajante) da Anabela na mala da mamãe!





4 comentários:

  1. Se tivesse me dado ouvidos, a gente teria chegado no hotel mais depressa... :-)

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga!
    Adorei sua descrição da viagem, mas gostaria de ver as fotos...
    bjs

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Melzinha, adorei a descrição, como sempre. Mas queria ver as fotos! Conserta isso aí!
    Ah, e vê se conta como vcs conseguiram ler o nome das ruas depois...
    bjos

    ResponderExcluir