quinta-feira, 9 de junho de 2011

Corfu, Grécia – Dia 11

Cruzeiro (04-11/06)
Dia 11 (quinta-feira, 09 de junho de 2011) – Corfu

Resumo informativo da viagem (todos os detalhes de hóteis, transportes, restaurantes, como circular, e etc.)

Álbum de fotos do Cruzeiro (da Lua de Mel)

Álbum de fotos de Corfu (da Lua de Mel)

 

Só chegamos em Corfu às 13h, por isso passamos a manhã dentro do navio, e claro, aproveitamos para acordar sem despertador. Durante toda a manhã tive que aturar o Leo falando do Vasco de ter sido campeão, e pior do que isso, foi ter que andar com ele usando a blusa do time. Ai, acho isso horrível (rs)!

Vascaíno de plantão     Esperando ansiosa nossa chegada em Corfu.

 

Corfu faz parte do grupo de ilhas jônicas. As ilhas jônicas são as mais verdes e férteis de todos os gripos de ilhas da Grécia, caracterizadas por olivais e ciprestes. A geografia e o mar são belíssimos mas não simpatizei nem um pouco com a cidade. Falta conservação e limpeza. Vi muitos terrenos baldios como ferro velho. A cidade em si é feia. As estradas têm muito lixo pelos canteiros e o trânsito é louco.

Nosso passeio ao palacete da Sissi foi cancelado porque os funcionários estavam em greve, optamos então pela excursão “Visita a Palaiokastrítsa e a cidade de Corfu”.

Antes de chegar a Palaiokastrítsa, paramos em Kanoni, com antigos canhões e um panorama magnífico da baía, do convento de Vlacherna e da Ilha de Pontikonosi.

Kanoni     Kanoni - Tudo muito florido!     Kanoni

 

No meio do caminho, vimos algumas ruínas.

No caminho à Palaiokastrítsa, ruínas.

 

Palaiokastrítsa, ao norte de Corfu, é uma região da ilha de veraneio por excelência. Ao longo da estrada costeira há um balneário atrás do outro. Três enseadas se agrupam ao redor de um promontório coberto por vegetação densa. A região é belíssima! Vale um ou dois dias para curtir a praia, o mar, a natureza, o local.

Palaiokastrítsa   Palaiokastrítsa   Palaiokastrítsa

 

Numa parte bem alta de Palaiokastrístsa, há o mosteiro Moní Theotókau, o primeiro do local, construído em 1226. O mosteiro em si é bem sem graça. Vale pelo jardim encantador com vista abrangente para um imenso mar azul.

Mosteiro Moní Theotókau     Mosteiro Moní Theotókau

Mosteiro Moní Theotókau     Mosteiro Moní Theotókau

Mosteiro Moní Theotókau

 

Do mosteiro seguimos para o Centro de Corfu para visitar a Igreja de Santo Espiridião. Como estávamos bem cansados de visitar igrejas e, principalmente, porque o clima não estava nem um pouco agradável - quente e e muito seco (umidade do ar em 28%) - tiramos apenas uma foto do lado de fora e sentamos em Liston, à espera do retorno de nosso grupo.

Igreja de São Espiridião (Agos Spyrídon). O campanário de domo avermelhado desta igreja é o mais alto de Corfu. Foi construído em 1589 e dedicado ao santo padroeiro, cujo sarcófago está à direita do altar. É o lugar mais sagrado da ilha.

 

O Liston possui uma elegante sequência de cafés e é uma cópia da Rue de Rivoli de Paris. É um lugar pra sentar e desfrutar enquanto se toma o café mais caro de Corfu. Aproveitamos e degustamos mais um Café Frappé.

Liston    Liston

 

Voltamos para o navio bem cansados e usamos nossas forças restantes para o Jantar de Gala de Despedida, que foi bem animado.

Penúltimo jantar com nossos companheiros de mesa Ricardo e Waltecyr, Jantar de Gala de Despedida.   Penúltimo jantar com nossos companheiros de mesa Maria Isabel e Ligia, Jantar de Gala de Despedida.

 

E assim acabou nosso décimo-primeiro dia de lua de mel, cansados, “secos” e tristes pela viagem estar chegando ao fim (mas apaixonados, tá?). Coração vermelho

Nenhum comentário:

Postar um comentário