quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Busch Gardens, Tampa, Flórida

Orlando, Flórida (27/12/12 – 14/01/13)
Dia 6 (quarta, 02 de janeiro de 2013)
Fotos do Busch Gardens aqui!
Resumo Informativo de viagem aqui!

E chegou a nossa tão esperada parte da viagem: os dias de Parque!

O primeiro parque do roteiro foi o Busch Gardens, localizado em Tampa Bay, há uns 20 minutos do local onde estávamos hospedados. Compramos o ingresso na véspera e imprimimos “em casa” (tem opção de buscar na bilheteria), no site do parque.

Quando chegamos no parque ficamos chocados com o tamanho do estacionamento, e a primeira coisa que me veio à mente foi “será que ele fica totalmente ocupado?” Sim, fica! É assustador! Outra coisa que nos impressionou foi a organização para os carros estacionarem. Você não estaciona aleatoriamente em qualquer lugar, existem muitos funcionários que organizam as filas de carro e os direcionam para o local indicado para parar. Então, quem estiver indo pra lá, nada de ser mal educado na hora de estacionar, heim?

Estacionamento gigante

 

Existem ônibus disponíveis para ir do estacionamento ao parque. Mesmo que a fila esteja um pouquinho grande, vale à pena pegar o tal ônibus, para economizar tempo na caminhada, pernas (você vai andar muuuuuuuito ao londo do dia) e cansaço, principalmente quando se tem criança pequena. E não se preocupe, dá pra entrar facilmente com o carrinho (fechado).

Para entrar no parque, nós passamos por 2 filas, uma para vistoria de bolsas e a outra para habilitar o ingresso. A minha dica é levar o mínimo necessário na mochila e organizada em saquinhos para agilizar esse processo (eles olham mesmo a bolsa e dependendo pede pra tirar algumas coisas para olhar melhor dentro). Não pode entrar com comida, por isso verifiquem no site do parque o que pode e o que não pode carregar na bolsa. Comidinha e bebida de criança, pode!

Ufa, ufa, vamos começar a brincadeira?

Para esse parque adotamos a seguinte estratégia de diversão: de mapa na mão, marcamos todas as montanhas-russas (essas são as principais atrações do Busch Gardens!) e seguimos o parque em sentido anti-horário. Nosso primeiro erro: chegamos as 11h da manhã (ô ritmo de férias relax pra atrapalhar...). Eu recomendo fortemente chegar no horário que o parque abre. Ok, eu sei que é um pouco difícil conseguir essa façanha com um bebê, mas tente!

Nosso segundo erro: a primeira atração que fomos, a CHEETAH HUNT foi inaugurada recentemente e estava sendo a mais procurada, e o tempo de espera foi de 90 minutos (ao contrário do que dizia a sinalização de “apenas” 40 minutos). Antes de se divertir, faça uma breve pesquisa sobre as atrações que são lançamentos e as evite no início. E curta as atrações por ordem de tempo de espera na fila, do menor para o maior tempo (óbvio...).

Erros à parte, nos divertimos muuuuuuuuuito nesse primeiro dia! Conseguimos ir em quase todas as montanhas-russas do parque (das 6, fomos em 4!). Nossa ordem de preferência de diversão: KUMBA, CHEETAH HUNT, MONTU e SCORPION. Não conseguimos ir na SHEIKA nem GWAZI porque o tempo de espera era em torno de 90 minutos (o que dizia a sinalização…). Devo confessar que eu já tinha decidido não ir na SHEIKA, pois achei radical demais a descida ser em ângulo de 90 graus (rs).

Cheetah Hunt Montu

Kumba Scorpion

 

O Leo e a Anabela foram na atração CONGO RIVER RAPIDS, o que não foi uma boa idéia, pois eles ficaram bem molhados do brinquedo (e não tinham roupa reserva). Esse foi o principal motivo de não irmos em nenhum outro brinquedo aquático, o que foi uma pena, pois pareciam bem divertidos. Bem, na saída desses brinquedos tem lojinhas de roupas com a marca de lá, pra quem tem interesse, pode ser uma boa desculpa se molhar e levar pra casa um souvenir rs. Recomendo uma muda de roupa extra na bolsa.

Por causa do longo tempo de espera nas atrações quase não curtimos a parte do zoológico do parque e fiquei triste com isso, pois os animais são lindos e tudo é muito bem cuidado, gostoso de passar o tempo. Para o Busch Gardens eu recomendo 2 dias, acreditem, vale muito à pena!

O zoológico é lindo!

 

Fizemos duas paradas para a alimentação, um lanche-almoço e outro lanche na saída do parque (para aguentar chegar em casa, tirar aquele soninho que atrapalha o motorista e esquentar a noite que estava fria).

Nosso lanche-almoço Uma boquinha antes de ir embora

 

Neste parque, tiramos proveito do SWAP CHILD e foi ótimo! Funciona assim: a mamãe entra na fila da atração e o papai fica com o filho pequeno esperando. Quando a mamãe volta, o papai curte a atração sem precisar enfrentar a fila de novo, ou seja, é um modo de “furar” a fila legalizado, para os pais que tem filhos pequenos (antes de entrar na fila, fale com o funcionário na entrada do brinquedo).

Esperando o papai (Swap Child)

 

Na saída do parque, a fila de espera para o ônibus que nos leva até o estacionamento era tão, tão grande, que preferimos voltar andando até o carro (em torno de 10 a 15 minutos de caminhada – lembrando que tínhamos um carrinho + bebê). Enquanto caminhávamos de volta para o estacionamento percebemos que existiamm locais preferenciais (para aqueles que tem carrinho de bebê). Se soubéssemos disso, nós teríamos estacionado nosso carro bem mais próximo da entrada do parque... nosso terceiro erro. Sempre que for estacionar, pergunte se tem lugar preferencial.

Fila muuuuuuuito grande à espera do ônibus que leva ao estacionamento Local para estacionamento preferencial

 

Um pouco sobre a Laura durante o dia no parque:

A Laura se comportou super bem e até que foi tranquilo o dia de hoje. É claro que teve o seu lado cansativo, afinal ela é um bebê de 10 meses, e mesmo para ela, o tempo de espera na fila é tedioso, é preciso criatividade para distrair a criança “presa” em um carrinho. Durante as esperas, a gente aproveitava para alimentá-la, trocar a fralda, fazê-la dormir, tirar ela do carrinho e deixá-la livre um pouquinho... Isso minimizou bastante as paradas extras. Para isso acontecer numa boa, é preciso um pré-roteiro do parque (para coincidir com os horários do BB), uma bolsa organizada e revezamento do papai e da mamãe, para que todos se divirtam, na medida do possível.

Deixando Laura "livre" do carrinho Hora de alimentar o bebê

Me tira daqui e me dá um colinho?

Laura dormiu! Distraindo a Laura...

 

No final do dia, chegamos em casa bem cansados, mas com uma maravilhosa sensação de “nós nos divertimos e vamos lembrar pra sempre desse dia”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário