sábado, 13 de julho de 2013

Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5

Rio Quente Resorts (09 a 13/07/2013)
Dia 5 (sábado, 13 de julho de 2013)

Álbum de fotos Rio Quente Resorts, Goiás

Malas prontas, dia de voltar pra casa!

Hoje não teve jeito, o uso do despertador foi inevitável e essencial. Fomos tão organizados e sintonizados que fizemos o check-out 15 minutos antes do previsto! O nosso vôo estava marcado para as 19h e por isso tivemos a chance de passear por Caldas Novas (a 37km de Rio Quente) e conhecer um pouco mais de Goiás.

Quando chegamos em Caldas Novas, a cidade estava bem movimentada e as entradas dos parques aquáticos com muitas filas. Apesar de estarmos no inverno, a temperatura elevada e a baixa umidade deixa tudo muito quente por aqui. O uso de manteiga de cacau e a ingestão de muita água é essencial, além de muito soro fisiológico no nariz para evitar o ressecamento das narinas.

Infelizmente não tivemos tempo para curtir um outro parque aquático (que seria muito bem-vindo com esse calor), então aproveitamos para comprar doces e levar lembrancinhas para as pessoas queridas. A dica do dia foram os doces da Dona Maria e da Dona Ana. Elas são irmãs e seus doces são famosos (inclusive no Trip Advisor e Guia 4 Rodas) na região. Quando peguei a dica, achei que fosse uma daquelas propagandas enganosas e exageradas, mas me surpreendi e constatei a veracidade da informação. Pra começar, assim que entrei na loja, fui MUITO bem recebida pela atendente, que imediatamente me levou para degustar os mais variados doces em barra.  O que mais gostei e logo coloquei na cestinha foi o pé de moleque (pouco açúcar e muito amendoim). Daí dei de cara com um vidro enorme de pé de moleque cremoso. Não pensei 2x, foi pra cesta! Outro doce diferente e muito gostoso, foi o doce de sidra e o doce de pequi (frutas típicas da região). Não, não trouxe todos eles porque estou de dieta e não tinha mais lugar na mala (que sorte!) – acreditem, viajamos com apenas 2 malas M para 4 pessoas! Sem contar a bolsa de mão da Laura e a mochila com itens essenciais e de valor de cada um.

Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5 Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5

 

Depois das compras, visitamos o Jardim Japonês que foi bem adequado para o calor que estava fazendo, e no jardim passamos momentos refrescantes. O lugar é muito bonito e agradável, parecendo um oásis no deserto (rs).

Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5

Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5

Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5

 

A Fonte dos Desejos era uma graça, e claro, joguei uma moeda e fiz um pedido. Até a Laura brincou de fazer um desejo! ;-)

Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5

Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5 Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5

 

Nossa intenção era almoçar no Restaurante Dona Maria (a dos doces, lembra?), pela sua comida típica, mas estava muuuuuito cheio, então comemos num pé sujo em frente. Isso me deixou meio azeda (rs), mas logo fiquei feliz com a pamonha que comi de sobremesa. Gente, que pamonha foi aquela?!?! Divinamente saborosa! A melhor que comi até hoje!

Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5 Rio Quente Resorts, Goiás – Dia 5 

 

Dica da tarde: O Restaurante Dona Maria abre às 11h, eu sugiro organizar o dia e a fome, para chegar no restaurante um pouco mais cedo e conseguir almoçar lá (chegamos por volta de 13h).

Saímos de Caldas Novas em direção ao aeroporto, 25 minutos antes do planejado e fizemos uma parada rápida. A viagem de Caldas até o Aeroporto durou cerca de 2h35min. No aeroporto, esperamos pelo vôo por duas horas e meia, sendo que o vôo atrasou 15min. Acho que dava tempo de visitar mais algum lugar em Caldas… aí é pra deixar o Leo tensoooooooo com o horário de viajar (rs).

Para encerrar a viagem. a GOL (empresa aérea) conseguiu marcar 3 pessoas no MESMO assento no 1º trecho e 2 pessoas no 2º trecho, sendo que em ambos os vôos tinham muitos lugares vazios. Como podem errar isso nos dias de hoje, quando tudo é informatizado? Mas deu tudo certo no final. Na volta, apesar do vôo tranquilo, a Laura NÃO dormiu durante a viagem, e por esta ser a noite, eu e Leo ficamos muito cansados.

Chegamos em casa pouco depois das 22h, exaustos, mas muitos felizes por tudo ter dado certo em mais uma viagem em família.

Recomendo fortemente esse roteiro!

Encerro esse relato com essa frase: “Viajar é bom, mas voltar pra casa é muito melhor”, do tapete do meu vizinho (rs).

Até a próxima!

Nenhum comentário:

Postar um comentário